Noticias

Homem acusado de matar soldado da PM a tiros é condenado a 28 anos de prisão

Acusado de matar a soldado Bárbara Aline da Rocha, em um aviário de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, Felipe Ribeiro Leite foi condenado a 28 anos, dois meses e 15 de prisão. A condenação foi definida por júri popular realizado nesta quinta-feira (2). Destaca-se o fato de que a pena foi agravada pela condição militar da soldado da Polícia Militar.

De acordo com o assistente de acusação, Samuel Rangel, esse é um resultado de muita luta para que a justiça fosse feita no caso. “Só homicídio para ele era muito pouco. Essa condenação é um resultado de muita luta e preparo, deixando agora o alerta para todos os meliantes que pensem em atentar contra policiais, já que um atentado contra a condição militar já irá dobrar a condenação de início”, comentou.

Leite foi acusado de homicídio duplamente qualificado (impossibilidade de defesa e condição policial) e roubo. De acordo com as investigações, a motivação seria uma vingança por ela ter prendido dois amigos dele duas semanas antes do crime.

Para o pai da policial, Claudecir Gonçalves da Rocha, a condenação dá sensação de alívio. “A justiça dos homens foi feita, então é dever cumprido. A busca agora segue para que todos os envolvidos no crime também sejam condenados e paguem por isso”, disse.

O crime

A soldado Bárbara foi assassinada na véspera do Natal de 2016. Um casal, que aguarda o julgamento em liberdade, também responde por envolvimento no crime. Na época das investigações, imagens com o momento do assassinato foram divulgadas pela polícia.

Os bandidos chegaram em um Fiat Uno e estacionaram próximo ao aviário da família de Bárbara, na Rodovia João Leopoldo Jacomel, no bairro Maria Antonieta. Um deles, que seria Leite, desceu já com a arma em punho apontando para a soldado. Ela esboçou reação, mas não deu tempo, e acabou atingida na cabeça e no peito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *