Noticias

Maioria dos desembargadores decide anular júri que inocentou Kátia Vargas

O julgamento do pedido de anulação do júri popular que inocentou a médica Kátia Vargas, da acusação de ter atropelado e matado os irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, de 21 e 23 anos, foi suspenso, na tarde desta quinta-feira (02).

O pedido de vista foi feito pelo desembargador Mário Alberto Simões Hirs, no entanto, antes disto, o relator do processo, José Alfredo Cerqueira, e o presidente do Tribunal de Justiça (TJ), João Bosco de Oliveira, já haviam votado a favor de anular o júri.

Anúncios

Em conversa com a imprensa, o advogado de acusação, Daniel Keller, explicou que mesmo que Hirs vote contra, a decisão de anular já foi tomada. “São três desembargadores que julgam e dois votaram a favor da anulação do júri. Se ficar 3 a 0, a defesa de Kátia Vargas só pode ir ao STJ em Brasília. Ficando 2 a 1, a defesa pode entrar com um recurso no próprio TJ-BA. A princípio, o júri está anulado. O terceiro voto vai mostrar o que a defesa pode fazer”, diz.

A mãe das vítimas, Marinúbia Gomes Dias, falou que está confiante na Justiça. “A esperança está sempre renovada, estou sempre confiante na Justiça. Independente de qualquer coisa, não vejo como vitória isso. Não desejo nada de mau pra ela nem pra família dela. Mas naquele dia ela tirou a vida de Emanuel e Emanuelle. Eu peço a Deus que tudo isso chegue ao fim e que toda essa dor acabe”, afirma.

O acidente aconteceu no bairro de Ondina, em 2013, após uma briga de trânsito, que culminou na morte dos irmãos Emanuel e Emanuelle. A oftalmologista foi absolvida das acusações durante um júri popular realizado no Fórum Ruy Barbosa, em Salvador, em dezembro do ano passado. Com informações do site Varela Notícias.

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *