Cruz das almas

Cruz das Almas: Durante pescaria em açude, homem de 49 anos morre afogado

Um homem de 49 anos morreu afogado no final da manhã deste domingo, 21, em Cruz das Almas. O afogamento ocorreu durante uma pescaria em um açude que fica em uma área que pertence a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), por volta das 11h50.

“Zé Perninha”, como era popularmente conhecido, estava utilizando uma rede de pesca quando afundou repentinamente e não retornou mais a superfície, disse uma testemunha que acionou a Polícia Militar.

Anúncios

Com águas escuras e cheio de vegetação, o corpo só deve ser retirado do açude por mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Feira de Santana. Apesar de ser uma área federal que é monitorada por uma empresa de segurança, o local é frequentado por pescadores e banhistas, principalmente em dias mais quentes.

Forte na Notícia

Anúncios
crie seu site

One thought on “Cruz das Almas: Durante pescaria em açude, homem de 49 anos morre afogado

  1. NOTA DE ESCLARECIMENTO

    A Embrapa lamenta profundamente a morte do senhor José Silva, ocorrida na manhã do último domingo, 21, no açude da Embrapa Mandioca e Fruticultura.

    A Embrapa Mandioca e Fruticultura informa que o açude é utilizado apenas para irrigação de experimentos de pesquisa. É proibida a entrada no local, inclusive de empregados, estagiários e bolsistas da Embrapa – em qualquer dia ou horário e para qualquer categoria de atividade recreativa, incluindo banho e pesca.

    Mesmo com as restrições e contando com vigilância 24 horas, a área da Unidade de pesquisa da Embrapa é eventualmente utilizada por pessoas e animais em acessos ilegais e não consentidos. Além disso, em alguns casos, são causados prejuízos aos trabalhos de pesquisa com a destruição de experimentos, muitos deles inviabilizados após anos de avaliações agronômicas.

    Para tentar minimizar os prejuízos, proteger o patrimônio público federal — que compreende 16 laboratórios, casas de vegetação, estufas, telados, biblioteca, centro de treinamento e campos experimentais com nove coleções de espécies e variedades de mandioca e fruteiras em 260 hectares — e reduzir os riscos à vida, está sendo construído um muro em toda a sua extensão, substituindo-se paulatinamente a cerca que, ao longo do tempo, foi danificada por pessoas alheias ao trabalho da Embrapa.

    Embrapa Mandioca e Fruticultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.