Esporte

Gerson presta depoimento sobre caso de racismo: ‘Dar força para que outras pessoas possam falar’

O volante Gerson, do Flamengo, prestou depoimento hoje (22) na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI), no Rio de Janeiro, no âmbito da investigação por suposto crime de racismo que teria sido praticado pelo meia-atacante Juan Ramírez, do Bahia. Um inquérito da Polícia Civil apura as denúncias do jogador, que acusa o adversário de injúria racial, ocorrida no último domingo (20). Ao lado do vice-presidente jurídico do clube, Rodrigo Dunshee, o jogador comentou a ocasião, em vídeo divulgado pelo Flamengo.

“Estou aqui na delegacia, vim falar sobre o ocorrido. Quero deixar bem claro que não vim só para falar por mim. Vim para falar por minha filha, que é negra, meus sobrinhos, que são negros. Meu pai, minha mãe, amigos também, e por todos os negros do mundo sobre o fato que aconteceu. Hoje, graças a Deus, eu tenho um estado de jogador de futebol, onde eu tenho voz ativa para poder falar e dar força para que outras pessoas que sofrem racismo ou outros tipos de preconceito possam falar também”, disse o jogador.

Anúncios

De acordo com o relato de Gerson, Ramírez disse a ele “Cala a boca, negro”. Além do volante flamenguista, a delegada Marcia Noeli informou que o jogador do Bahia, o técnico Mano Menezes e o árbitro Flavio Rodrigues de Souza também darão depoimento.

Metro1

Anúncios
crie seu site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.