Esporte

Mancini lamenta 1º tempo “sonolento” do Vitória, elogia Botelho e justifica escolha por Zé Welison

Na noite desta segunda-feira (30), o Vitória conheceu sua segunda derrota no Campeonato Brasileiro da Série A. O rubro-negro perdeu para o América-MG, por 2 a 1, onde os dois gols adversários foram marcados na primeira etapa, em falhas do sistema defensivo. Após a partida, em entrevista coletiva, o técnico Vagner Mancini falou sobre as posturas distintas da equipe durante os dois tempos do jogo.

“É difícil eu tenho tentado achar soluções. Isso aí vai muito da parte emocional e de concentração do atleta. Até na minha preleção eu bati na tecla exatamente disso, porque nós, há uma semana, viemos jogar aqui diante do Atlético e aconteceu a mesma coisa. Então eu chamei a atenção para que não entrássemos da forma como nós tínhamos entrado no jogo do Atlético e novamente aconteceu. Tivemos erros individuais e coletivos e a parte tática você não pode perder. Às vezes a tua parte tática consegue corrigir o erro individual, mas quando ela não corrige, você toma gol. Fica evidente que ficou faltando alguma coisa, o que eu vi no primeiro tempo foi uma equipe sonolenta, desinteressada, desconcentrada. Já na segunda etapa, não. Eu tenho que elogiar porque o time veio diferente. A equipe quase empatou o jogo. Eu saio chateado e todos eles estão chateados também porque sabem que jogaram abaixo daquilo que podem render”, afirmou.

Anúncios

Mancini também explicou porque escolheu o volante Zé Welison para atuar na lateral-direita, mesmo tendo dois laterais de origem, Lucas e Jeferson, no banco de reservas.

“Eu tive a opção de entrar com Zé Welison, e eu sei disso. Agora eu tenho que dar ao Zé Welison a capacidade de jogar, para que naquela decisão, diante do Corinthians, ele não esteja fora de posição. Então eu tenho que pensar no todo. Muita gente acha que eu estou improvisando, eu estou simplesmente colocando a equipe que vai jogar daqui a 10 dias. Então, não posso ficar mexendo na parte defensiva, gerando uma certa desconfiança. O atleta precisa de confiança, ele pode sair do jogo tendo jogado mal, se ele se entregar ele vai ter o meu apoio, porque eu cobro isso dele. Mas eu não posso de maneira alguma ficar mexendo na equipe. E isso, de certa forma, acaba atrapalhando a parte tática também. Hoje, nosso setor defensivo foi mal, com exceção do Pedro Botelho, os outros três jogadores não foram bem e nós acabamos tomando dois gols em lances onde normalmente a gente não erra”, justificou.

Anúncios
crie seu site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.